5 passos para ativar a sua criatividade

Saiba agora como desenvolver sua criatividade.

Você se considera uma pessoa criativa? É muito comum pensar que foram criativos ou não, ponto final. A resposta a esta pergunta depende de como você olha para a criatividade.

Acredito que a criatividade é algo que todos nós experimentamos muito intensamente durante a nossa infância. Costumo ver a criatividade como a capacidade de trazer algo novo para o mundo. Você pode liberar sua criatividade escrevendo um poema, discutindo uma nova ideia com amigos, aprendendo a costurar ou apenas inventando algo novo para o jantar.

A criatividade não precisa se limitar a grandes ideias revolucionárias. Pode estar presente em pequenas ações e na forma como olhamos o mundo e as pessoas ao nosso redor

1- Tenha uma mente de crescimento

Nossa capacidade de moldar começa precisamente com nossa visão. Precisamos do que a pesquisadora e professora de Stanford Carol Dweck chama de mentalidade de crescimento. Manter a mente aberta e acreditar que podemos evoluir, aprender e assim adquirir novas habilidades, inclusive a criatividade, é o primeiro passo que precisamos dar.

2- Tenha um propósito

À medida que ganhamos experiência, podemos ter o desejo de criar. E nesse momento temos que parar e pensar: Por que queremos fazer isso? Para que serve? Para quem é?

Uma vez que entendemos o propósito e colocamos as pessoas a quem esta ideia se destina em primeiro lugar, podemos criar algo que seja realmente valioso. Quem se beneficiará com o que você pretende criar? Sabendo o porquê, entendemos que a nossa primeira ideia nem sempre é a melhor.

Sabemos também que existem diferentes formas de atingir o mesmo propósito. Por exemplo, quando você percebe que ao invés de criar uma nova marca de camisetas, esse desejo é comunicar ideias de forma simples e cotidiana na vida das pessoas, você pode começar a enxergar outras alternativas para conseguir isso. Você pode até entender que pedir às pessoas que decidam qual caminho seguir pode ser um bom caminho.

3- Crie experiências

Praticar a nossa presença, onde quer que seja, é o próximo passo para uma vida mais criativa. Realmente se rendendo às experiências que vivemos. Isso será capaz de aprender algo que mais tarde pode se conectar a algo que nem imaginamos.

Por exemplo, pode ser que você aprenda algo em uma aula de dança e faça isso com a combinação de conhecimentos de uma nova técnica de fotografia e, assim, lançar um livro sobre os movimentos do corpo.

A questão é que você nem sempre verá imediatamente o propósito ou a utilidade por trás desse novo conhecimento. No entanto, estar 100% presente e tentar diversificar suas áreas de conhecimento pode trazer potencial inovador para essa combinação.

Mesmo que você esteja escrevendo um e-mail ou participando de uma palestra sobre um tema que não conhece, você pode se engajar para extrair algo dessa experiência.

4- Escreva sua ideias

Não há possibilidade. As ideias são sorrateiras. Eles nos aparecem como soluções brilhantes que podem mudar o mundo e, no momento seguinte, desaparecem. Por esse motivo, você deve criar o hábito de anotá-las ou gravá-las com seu gravador.

No final de cada dia, faça um balanço das novas ideias à medida que seu projeto avança e veja quais são úteis poderia ser agora. Não descarte aqueles que parecem muito fora de controle. Eles podem ser melhorados ao longo do tempo e aplicados em outro momento.

5- Acredite no desenvolvimento de sua criatividade

É muito importante respeitar o seu ritmo e natureza. Quer dizer, você tem que ter uma maneira de lidar com certas situações que podem ser diferentes da maneira como seus amigos lidam com isso ou até mesmo da maneira como você gostaria de lidar com isso.

Tente não se empolgar demais longe para sobrecarregar. Isso pode acabar criando muita pressão e paralisando você de medo. medo de não ser bom. medo de não trabalhar. Medo do que os outros vão dizer. De qualquer forma, a lista de medos é longa. Então, em vez de se apegar a todos esses medos, que tal olhar para o seu processo criativo com mais amor? Não estou falando de amor romântico, estou falando de amor de confiança. Confie em você e em suas habilidades e saiba que independente dos resultados, esse processo vale a pena.

Muitas vezes ficamos presos em idealizações de resultados. Queremos para ontem. Queremos que seja perfeito. Que todos gostem. Que seja um sucesso de vendas. E esquecemos que os resultados são consequência do processo, ou seja, do caminho que seguimos. Esta caminhada tem desvios, rochas e surpresas. Se entendermos que isso faz parte e que muitas vezes o processo pode contar mais do que o ponto de chegada, pode haver mais espaço para a criatividade espontânea. Aqueles que tivemos quando criança que não se importavam tanto com o que algo faria ou com o que todos pensariam e apenas faziam, criavam, brincavam. Permita-se jogar mais durante o processo!

Leia também:

Recommended For You

About the Author: Carol Sena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.