Saiba agora como diminuir o uso do celular em 5 passos

Diminuir o uso do celular.

Dispositivos como smartphones tornaram-se cada vez mais integrados na vida da maioria das pessoas. Existem várias funções que auxiliam, por exemplo, na realização de tarefas cotidianas, comunicação e organização. De acordo com o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), em 2019, 58 da população brasileira acessaram a Internet exclusivamente por meio de telefones celulares.

A combinação da Internet e da mobilidade trouxe um novo contexto comunicativo, que, segundo Amanda Borges Fortes, Mestre em Psicologia, e Carolina Lisboa, Professora da Faculdade de Ciências da Saúde e da Vida, pode ser apelidado de A Era do Smartphone. Um estudo recente de Amanda, liderado por Carolina, mostrou que o bem-estar e a regulação emocional podem estar relacionados ao uso do smartphone de forma controlada.

No entanto, a literatura também aponta malefícios à saúde mental causados ​​pelo uso excessivo do celular, além dos efeitos na vida diária, tempo para outras atividades, prejuízo nos relacionamentos, aumento da ansiedade e estresse, causa da insônia, etc. Apesar disso , Amanda ressalta que a maior influência vem do lado emocional das pessoas:

Não é necessariamente o tempo que as pessoas passam no celular que prejudica a saúde mental, mas os diferentes tipos de uso.

Para ajudar as pessoas a usar os dispositivos corretamente, aumentar a felicidade, promover a socialização e prevenir problemas de saúde, os pesquisadores criaram algumas diretrizes úteis sobre o que a ciência diz sobre o assunto. E uma boa notícia: não há contraindicações para ler no celular!

1- O problema não é o quanto, mas o porquê


O impacto dos smartphones na saúde mental depende do tipo de uso. O problema aqui não é apenas quanto é usado, mas por que (motivação). O aparelho pode ser usado para promover qualidade de vida e saúde, por exemplo, para controlar hábitos como B. a promoção de atividade física e técnicas de relaxamento.

2- Limites do celular

O ideal é não usar o celular o tempo todo: temos que entender que o momento em que usamos smartphones também constitui uso saudável ou não, explica Amanda. Por exemplo, em um jantar em família onde todos estão reunidos em volta da mesa, usar o celular para fins de trabalho ou até mesmo conectar-se com um amigo distante é inadequado

Devemos sempre nos referir a um famoso paradoxo relacionado às pessoas estarem fisicamente presentes, mas ausentes devido ao uso de smartphones, lembra Carolina. Além disso, tenha cuidado ao usar smartphones para uso saudável. O tempo de uso pode ser um dos maiores fatores de risco e precisa de ainda mais atenção em um momento em que muitas pessoas estão trabalhando e aprendendo remotamente.

Qual seria o momento adequado? Nós não sabemos. Mas as pessoas podem se perguntar quanto tempo dedicam a cada uma de suas atividades na vida e, se essa comparação não for equilibrada, temos um problema, afirma Amanda.

3- Compartilhando do uso de celular


Se for necessário o uso de telefones celulares, pois muitas vezes requer a presença de pessoas, compartilhe o uso que vai fazer. Me desculpe, eu tenho que atender essa ligação, olha que legal esse vídeo que eu estava assistindo ou eu só tenho que combinar isso com meu colega, então eu vou guardar meu telefone. Dependendo do contexto e do momento, é interessante que você possa falar sobre o uso que está fazendo para que a pessoa com quem está não se sinta ignorada ou desrespeitada.

4- Evite usá-lo automaticamente


Isso acontece quando não há um objetivo claro e específico para o uso do smartphone e ele detecta uma certa perda de controle sobre essa tecnologia. Isso é chamado de uso passivo. Dessa forma, você não percebe o tempo no final e coisas importantes ficam de fora (seja conversar com a família, trabalhar, estudar ou até mesmo dormir e descansar).

Normalmente, o uso automático é acionado para espalhar emoções negativas (tédio, tristeza, frustração) ou mesmo uma situação difícil (solidão, desconforto em conversas difíceis, etc.). A maneira como as pessoas gerenciam suas emoções pode afetar a maneira como elas usam a tecnologia.

5- Necessita usá-lo agora?


Antes de pegar seu smartphone, faça três perguntas a si mesmo: por quê?, para quê? e deve ser agora?. Ao responder, certamente fará melhor uso dos recursos disponíveis.

Portanto, o desafio é usar a tecnologia de forma controlada, pois os smartphones estarão cada vez mais presentes no cotidiano da população. Aceitar isso e entender como usá-los sem danos é uma tarefa fundamental nos dias de hoje. A tecnologia deve ser usada a nosso favor. Estamos no controle, não as tecnologias que nos controlam, enfatiza Carolina.

Ambas as pesquisadoras fazem parte do grupo de pesquisa Relações Interpessoais e Violência – Contextos Clínicos, Sociais, Educacionais e Virtuais (Rivi) no qual o estudo foi desenvolvido.

Veja também:

Recommended For You

About the Author: Carol Sena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.